sexta-feira, 28 de julho de 2017

PIZZA NO PRATO NO MICRO-ONDAS

Há momentos que apenas pizza podem salvar :) Sou um pizza addict, confesso. Desde garoto que o lanche ajantarado de domingo incluía pizza, geralmente feita numa forma de alumínio baixa com tampa própria, do género panela de pressão (com pipo e tudo), que a minha mãe assava no fogão. Quando fazia mais que uma pizza, iam para o forno, mas quando era apenas uma, esta forma prática resolvia a preparação em 10-15 minutos. De todas as pizzas, era famosa a de atum e cebola... ainda hoje é.

Os sabores de pizza sempre me cativou e saliento dois aspetos: o queijo derretido e o aroma dos orégãos quentes. Claro que o molho é importante, claro que a massa é fundamental, claro que os ingredientes usados na cobertura são decisivos, mas queijo e orégãos, nalguns momentos, é suficiente.

Algo que eu fazia há muito anos atrás, para um snack ou não, era simplesmente dispor num prato raso, 4-6 bolachas cream cracker e cobrir cada uma das bolachas com meia fatia de queijo flamengo e orégãos secos. Levava ao micro-ondas para derreter o queijo e já está. Adorava quando as bolachas se tocavam e o queijo derretido acabava por secar e unir as bolachas. Algumas variações eram famosas, barrar com um pouco de concentrado de tomate (bisnaga de polpa de tomate) muito levemente antes do queijo, e/ou algumas meias-luas de cebola como recheio antes do queijo. Outras vezes, uns farrapos de fiambre ou um pouco de atum desfiado incrementavam substancialmente estas bolachas-pizza.
Entretanto tive uns anos de esquecimento das bolachas cream cracker e substitui as mesmas por crackers italianas (aquelas levemente salgadas, retangulares com picotado pelo meio) usando todo a embalagem individual.

Esta versão de pizza no micro-ondas é feita originalmente numa caneca, de preferência larga e baixa, mas eu ainda a prefiro preparar num prato.
Há uns meses atrás, posso garantir, que a adição por estas pizzas foi tão grande que todos os dias da semana preparei uma, à ceia, e aproveitei para a servir num lanche surpresa aos garotos, que adoraram. Houve até lanches de domingo que o pedido especial foi comer no sofá uma destas pizzas, a ver um filme ;)

É bastante rápida, não precisa de muitos ingredientes na cobertura, podendo usar-se carnes ou apenas vegetais. A massa não é propriamente massa lêveda de pizza, lembra mais uma massa de bolo, por ser fofa e esfarelar, o que resulta bem por absorver a humidade do molho e do queijo.

Esta é uma sugestão a ter na manga para servir num momento descontraído ou para um momento hygge, só seu, não partilhado, no desconcertante dia-a-dia.

Fiz assim...

PIZZA NO PRATO NO MICRO-ONDAS


INGREDIENTES
Para a massa:
4 colheres (sopa) de farinha de trigo
1/2 colher (chá) de fermento em pó (tipo royal)
pitada de sal fino
3 colheres (sopa) de leite
1 colher (sopa) de azeite

Para o recheio:
1-2 colheres (sopa) de molho de tomate
3 colheres (sopa) de queijo ralado
chouriço/linguiça, fiambre, cogumelos, espargos, atum, cebola...
orégãos secos

PREPARAÇÃO
Num prato fundo colocar todos os ingredientes da massa e mexer com uma colher até obter uma massa homogénea.
Espalhar a massa por todo o prato.

Cobrir com o molho de tomate e o queijo ralado.
Dispor os ingredientes escolhidos e polvilhar com os orégãos.

Levar ao micro-ondas cerca de 1 minuto e meio.

Pizza de linguiça


Pizza de linguiça e espargos


Pizza de fiambre, cebola e majericão


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- O tempo previsto no micro-ondas pode variar, uso 1 minuto e meio na potência máxima (1100w);
- Os recheios com algumas rodelas de linguiça ou chouriço resultam bem porque a gordura do enchido derrete um pouco no micro-ondas e o sabor ajuda a formar o molho da pizza e impregnar na massa.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

BOLO DE CACAU OU CHOCOLATE (VERSÃO VAPOR)

Tenho feito este bolo várias vezes, por vários motivos:
1- é pratico de se fazer, todos os ingredientes são misturados numa única taça;
2- a massa é densa mas muito arejada e maleável, ótima para comer simples mas serve de base para uma sobremesa adicionando em cima uma bola de gelado de baunilha ou morango, uma colherada de natas ácidas ou chantily ou alguma fruta com calda;
3- preparado no vapor não precisa de forno, bom para os dias quentes em que não apetece ligar o forno;
4- é rápido de se fazer, assa enquanto se janta ou antes do lanche ou à hora do almoço quando nos esquecemos de preparar outra sobremesa para levar para o trabalho :)

A receita é de um bolo Chiffon, mas para a tornar mais prática eliminam-se algumas preparações típicas deste bolo muito fofo, como as claras em castelo, a dissolução do chocolate na água quente, o não untar a forma (no bolo chiffon a forma não é untada para que a massa cresça, se agarre à forma e não abata ao arrefecer) e o não arrefecer dentro da forma invertida. Assim sendo, de Chiffon tem os ingredientes e o sabor, a versão tradicionalo ficará para outro dia, o bolo chiffon foi um bolo que na minha adolescência fazia para qualquer festa... modas, porque as comidas também têm modas.

Feito com cacau fica mais escuro e com sabor mais marcante, com chocolate em pó ou achocolatado ficará um bolo mais claro com um aroma mais subtil.
Para acompanhar com uma bola de gelado ou natas ácidas prefiro a versão de cacau, mais intensa mas não mais amarga.

Fiz assim...

BOLO DE CACAU OU CHOCOLATE (VERSÃO VAPOR)


INGREDIENTES
[Para uma forma de Ø 22 cm]
Versão de cacau:
6 ovos
200 g de açúcar
100 ml de óleo
100 ml de água morna
100 g de cacau
300 g de farinha
3 colheres (chá) de fermento em pó

Versão de chocolate:
6 ovos
50 g de açúcar
100 ml de óleo
100 ml de água morna
150 g de chocolate em pó ou achocolatado
300 g de farinha
3 colheres (chá) de fermento em pó

PREPARAÇÃO
Untar uma forma com manteiga e polvilhe com farinha ou passar spray desmoldante.

No copo do robot colocar os ovos, o açúcar, o óleo, a água e o cacau e bater alguns minutos até obter uma mistura fofa.
Adicionar a farinha juntamente com o fermento e envolver rapidamente.
Verter a massa para a forma e cobrir com folha de alumínio fazendo 3-4 perfurações com o bico de uma faca.

Lavar rapidamente o copo do robot e colocar água até quase ao nível máximo.

Colocar a forma na varoma e tapar.
Selecionar temperatura varoma/50min./vel.1.

Retirar a forma da varoma, deixar arrefecer uns minutos e desenformar.

Versão de chocolate:


Versão de cacau:


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para um sabor, aroma e cor intermédios usar metade da quantidade de chocolate em pó e metade de cacau;
- Para que haja uma circulação de vapor uso um pauzinho de chinês. partido em 2. por baixo da forma para fazer altura, poderá usar 2 garfos ou facas pequenas;
- Se a forma usada não poder ser tapada com a tampa normal da varoma, não usar essa tampa e colocar folha de alumínio a servir de tampa, perfurando-a algumas vezes. Se a forma tiver buraco no cimo da chaminé ao cobrir com a folha de alumínio forrar também a abertura;
- No final do tempo, se a massa não estiver totalmente cozida, voltar a colocar na varoma e selecionar mais 10min.;
- A forma usada é de alumínio com Ø 22 cm e 7,5 cm de altura, das que antigamente vinham junto com os fornos elétricos "patuscas".

quinta-feira, 15 de junho de 2017

BOLA ENFORMADA DE QUEIJO E CARNES FRIAS

Se o verão dá ar da sua graça, a vontade de piqueniques e lanches ao ar livre aumenta.
É tempo de churrascos, sardinha assada, pimentos e pepinos, saladas frescas, mas há sempre lugar para uns pães recheados e umas bôlas, que aliás me apetecem o ano todo ;)

Esta sugestão de hoje é muito prática por vários motivos: todos os ingredientes são misturados numa única taça; é uma bôla de massa fermentada pelo que ao fazer se surgir um imprevisto a massa pode aguardar no frigorífico sem qualquer problema; a massa não precisa de ser estendida como na maioria das massa lêvedas; é enformada e por isso o recheio é envolvido na massa em vez de ser disposto em camadas.

Ótima para um piquenique, lanche partilhado de final de ano na escola ou trabalho, para levar para a praia ou visita de estudo ou mesmo, se não mesmo, para o lanche ajantarado de domingo.

Tentei criar uma massa aromática (pelas especiarias/ervas e azeite que leva e pelos produtos da própria fermentação biológica), sem gordura em excesso (excluí as saturadas e inclui o nosso azeite), e com textura mais arejada mas rica em fibra contribuindo para isso a farinha integral. Diferente da textura do Bolo de azeitonas, Bacon e cebola por este último ter uma massa não lêveda.

Fiz assim...

BOLA ENFORMADA DE QUEIJO E CARNES FRIAS


INGREDIENTES
Para a massa:
4 ovos
400ml de leite
75ml de azeite
1,5 colher (chá) de fermento biológico seco
400g de farinha de trigo T65
200g farinha de trigo integral
1 colher (sopa) de orégãos moídos
1 colher (chá) de sal
1/2 colher (chá) de noz moscada moída

Para o recheio:
1kg de queijo e carnes frias em pequenos cubos:
400g de fiambre em cubos de 0,5cm
300g de paio/chourição em cubos de 0,5cm
300g de queijo flamengo em cubos de 0,5cm

PREPARAÇÃO
Numa taça bater os ovos e juntar o leite e o azeite e voltar a mexer.
Acrescentar os restantes ingredientes da massa e envolver bem.
Deixar repousar 30min-1h., tapado com um pano ou plástico até levedar

Acrescentar à massa o queijo e as carnes frias em cubos e envolver.

Untar uma forma com manteiga ou spray desmoldante e verter a massa.
Deixar repousar 15min. enquanto o forno aquece a 180ºC.

Assar no forno cerca de 45min-1h, a 180ºC, até a superfície ficar bem corada e o palito, no teste, sair seco.

Desenformar e deixar arrefecer sobre uma grelha.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Não querendo usar farinha integral pode ser substituída na íntegra por farinha de trigo T65 ou por outra como espelta ou kamut. Ao usar farinha de centeio coloque apenas 100g e refaça os outros 100g com farinha de trigo;
- Em vez de orégãos, que ligam muito bem com o queijo e fiambre, pode ser usado outra erva seca como o alecrim ou tomilho ou erva fresca como o cebolinho ou manjericão;
- Outros ingredientes ou combinações de ingredientes podem ser usados como as azeitonas, tomate seco, ovo cozido, ervilhas, milho, nozes ou outras sementes diversas.