quarta-feira, 30 de Julho de 2014

PÃO COM CHOURIÇO NA MFP - ARTISAN BREAD

Uma versão prática do Pão com chouriço - Artisan bread, pois mistura-se a massa e o chouriço picado na cuba da MFP (máquina de fazer pão), não sendo preciso cortar o chouriço em rodelas e esticar e enrolar a massa, nem mesmo assar no forno.
Nestes dias quentes em que não apetece muito ligar o forno, a MFP é uma solução.

No fim de frio, cortado em fatias é ótimo para uma simples entrada, um lanche ou para levar para a praia.
No dia seguinte ainda está perfeito, mas torrado deixa o chouriço mais seco e crocante ;)

A massa usada é do Artisan Bread, sempre disponível no frigorífico.

Fiz assim...

PÃO COM CHOURIÇO NA MFP - ARTISAN BREAD


INGREDIENTES
1/2 receita base Artisan Bread
3 chouriços tipo corrente sem pele e picados

PREPARAÇÃO
Picar os chouriços, podendo ficar pedaços irregulares.
Colocar a massa na cuba da MFP, juntar o chouriço picado e selecionar o programa "Amassar".
A seguir selecionar "Cozer/Assar".

Se achar que o pão ainda não tem uma boa cor, programar novamente para "Cozer/Assar" e deixar assar mais 15min..

Desenformar, retirar as pás e deixar arrefecer sobre uma grelha.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Para retirar a pele ao chouriço, basta com uma faca afiada dar-lhe um golpe longitudinal, depois, é só puxar e retirar;
- Para picar o chouriço usar um processador de alimentos, a bimby ou o 1, 2, 3 ou semelhante;
- Costumo comprar o chouriço corrente em embalagens de quilo. Gasto o necessário e depois congelo para outras ocasiões. Ao descongelar a pele do chouriço sai mais facilmente.

segunda-feira, 21 de Julho de 2014

TOFU À BRÁS

Muitas vezes para captar a atenção dos séticos de uma refeição vegetariana, pega-se numa receita tradicional e substituem-se os ingredientes. Mas a cozinha vegetariana dispensa esta adaptação. Existem tantas combinações possíveis entre os ingredientes vegetarianos que por si só traduzem pratos fantásticos na sabor, cor e textura.

Esta sugestão do Tofu à Brás é uma adaptação do tradicional Bacalhau à Brás, tendo substituído o bacalhau por tofu.
Não é minha pretensão dar dicas a vegetarianos, longe disso, a ideia é partilhar experiências com os restantes, no sentido da redução do consumo de carne.
Substituindo as proteínas animais por outras de origem vegetal, mantêm-se as caraterísticas nutritivas da refeição mas contribui-se para uma maior sustentabilidade alimentar. E vegetarianismo não é apenas uma preocupação alimentar, é muito mais que isso, é uma filosofia de vida, é estar bem connosco e com o planeta.
Eu não sou vegetariano, mas não gosto de estar de mal com ninguém ;)

É assustadora a nossa pegada ecológica! E numa época e numa geração do descartável, pequenos passos sustentáveis na família podem gerar bons resultados no futuro, pois não basta apenas separar o lixo para reciclar...

Como alguém responsável por futuros sobreviventes no planeta, há que diversificar os alimentos pelos seus sabores, cores, texturas e origens. É por isso que gosto de que, durante a semana, haja refeições diferentes e que algumas não incluam carne ou peixe.

O tofu tem uma textura interessante e é do agrado dos garotos. O seu sabor quase insípido é melhorado com uma marinada ou numa preparação bem condimentada, pelo que pode combinar-se nas mais variadas refeições.

Fiz assim...

TOFU À BRÁS


INGREDIENTES
Para 4 pessoas
500g de tofu
1 cebola média
1 fio de azeite
2 dentes de alho
200g de batatas fritas palha
4-5 ovos
3 colheres (sopa) de leite/natas ou leite/natas de soja
pimenta preta moída q.b.
coentros ou salsa picada
azeitonas pretas

Para a marinada do tofu:
1 colher (sopa) de molho de peixe ou de molho inglês (Worcestershire sauce)
1 colher (sopa) de molho de soja
4 colheres (sopa) de vinho branco
1 colher (sopa) de água
3 dentes de alho laminados
1 folha de louro

PREPARAÇÃO
Misturar num copo os ingredientes da marinada: molho de peixe, molho de soja, vinho e água.
Cortar o tofu em fatias, dispor num pirex e cobrir com a marinada, alhos e louro.
Deixar repousar o tempo que tiver (podem ser 5-10min ou 2-3h).

Numa frigideira alta colocar a cebola picada com o azeite.
Levar a lume médio até que a cebola fique transparente e amolecida, sem ganhar cor.
Acrescentar os alhos picados finamente e a marinada escorrida do tofu.
Deixar cozinhar mais uns minutos.

Partir o tofu à mão, em tiras e depois em pedaços.
Juntar na frigideira e envolver com a cebola.
Deixar que o tofu ganhe um pouco de cor.

Numa taça bater os ovos com o leite ou natas.
Temperar com a pimenta.

Envolver as batatas e parte das ervas picadas na mistura do tofu.
Verter os ovos batidos e mexer rapidamente desligando o lume para que os ovos não fiquem demasiadamente cozinhados.

Dispor numa travessa.
Decorar com as restantes ervas picadas e com as azeitonas.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- O molho de peixe tem um cheiro extremamente desagradável mas pelo contrário o seu sabor quando cozinhado é fantástico. Como o molho inglês inclui anchovas nos seus ingredientes, pode substituir, em parte, o molho de peixe;
- Outros ingredientes podem ser acrescentados, como pimento em tiras finas ou em pequenos cubos, cenoura ralada... mas o objetivo era fazer parecer na apresentação o bacalhau à brás;
- Como os molhos de peixe e soja e as batatas fritas palha de compra têm já sal adicionado, não se acrescenta mais durante a confeção, a não ser que quando provado se sinta necessidade;
- Dependendo do número de comensais, e tal como no bacalhau à brás, pode-se acrescentar um pouco mais de batatas e ovos para fazer render o prato.

segunda-feira, 14 de Julho de 2014

MUFFINS DE FEIJÃO PRETO E CHOCOLATE

Lanches proteicos na onda de serem enviados nas lancheiras dos mais pequenos.
Durante as férias, nas lancheiras, não pode faltar algo doce. Para evitar as tradicionais gomas, as bolachas de chocolate que depois derrete, estes muffins também de chocolate são uma bela opção.

Estes muffins têm doce q.b. e muito pouca gordura adicionada. Para além disso, são um ótimo veículo de leguminosas que assim passam completamente despercebidas aos miúdos e também graúdos ;) Não vale a pena dizer que são de feijão preto, basta dizer que são de chocolate, o que não é mentira nenhuma, pois o sabor do feijão é impercetível.

São sempre sucesso, práticos de se fazer e podem ter variações de aromas e com frutos secos variados ou simples, apenas com uma sementes a decorar.

Fiz assim...

MUFFINS DE FEIJÃO PRETO E CHOCOLATE


INGREDIENTES
100g de chocolate
1 colher (sopa) de azeite
200g de feijão preto cozido
2 ovos
1 colher (sopa) de vinho do porto
50g de açúcar amarelo
50g de açúcar branco
1 pitada de sal
50g de achocolatado
1 colher (chá) de fermento
100g de farinha de trigo

nozes partidas, avelãs, pepitas chocolate (para envolver na massa) - opcional
sementes de girassol (para decoração)

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Numa caçarola ou no microondas derreter o chocolate partido com o azeite.
No liquidificador, processador ou com a varinha mágica numa taça, triturar o feijão com os ovos e o vinho do porto.

Numa taça juntar e mexer a mistura do feijão com o chocolate derretido e os açúcares, sal e achocolatado.
Acrescentar o fermento e a farinha e envolver.
Envolver as nozes ou outros, se for o caso.

Dispor a massa em forminha de papel num tabuleiro de queques.
Cobrir com algumas sementes de girassol.

Levar ao forno 30min. a 180ºC ou até o palito sair seco.

Retirar as forminhas do tabuleiro e deixar arrefecer.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Em vez de vinho do porto pode ser usado um licor, apenas extrato de baunilha ou raspa de laranja;
- Aguentam alguns dias numa caixa fechada e podem ser congelados;
- Na Bimby colocar no copo o chocolate partido e o azeite. Dar uns toques de turbo. Selecionar 2min./vel.1/80º. Juntar o feijão, os ovos e o vinho do porto. Selecionar 20seg./vel.6. Acrescentar os restantes ingredientes, açúcares, sal, achocolatado, fermento e farinha. Selecionar 10seg./vel.6. Envolver as nozes ou outros, se for o caso.

sábado, 5 de Julho de 2014

MUFFINS DE PEIXE E VEGETAIS / PUDINZINHOS DE PEIXE E VEGETAIS

Ótimos para um piquenique, ótimos para mandar na lancheira dos mais pequenos, nestas saídas de verão ou para ter pronto do dia anterior para o regresso da praia.
Permitem aproveitar sobras de peixe cozido ou assado bem como de legumes cozidos.

A textura lembra a de um bolo húmido, a courgette contribui. A receita é parecida com a das Rodelas e Fatias de Courgette mas um pouco mais light, menos ovos e sem queijo e com a de Pudim de Peixe, sem batatas fritas e mais prática e rápida.

Com uma boa salada de verdes (mistura de alfaces, agrião, rúcula...) e tomate, fica pronta uma refeição leve e nutritiva para este verão.

Fiz assim...

MUFFINS DE PEIXE E VEGETAIS / PUDINZINHOS DE PEIXE E VEGETAIS


INGREDIENTES
1 cebola pequena picada
2 dentes de alho picados
3 colheres (sopa) de azeite
1 courgette pequena ralada
1 cenoura ralada
sobras de peixe
3 ovos
3 colheres (sopa) de iogurte natural ou natas
1 colher (sopa) de salsa picada
100g de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
sal
pimenta
noz moscada

sementes de girassol (decoração)

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Numa frigideira refogar a cebola e os alhos picados, no azeite, em lume médio, até a cebola ficar translúcida a dourada.
Juntar a courgette ralada com um pouco da casca e a cenoura e deixar cozinhar uns minutos até ficar mole.
Acrescentar o peixe desfiado.

Numa taça média/grande bater os ovos, juntar o iogurte e a salsa, bater.
Acrescentar a farinha, o fermento e os temperos e mexer sem bater.

Envolver o refogado à massa, rapidamente, sem bater em demasia.

Untar formas de queques e encher quase totalmente com a massa.
Cobrir com algumas sementes de girassol.

Levar ao forno a 180ºC cerca de 30min. ou até ficarem dourados ou o palito sair seco.

Desenformar e deixar arrefecer sobre uma grelha.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Podem ser acrescentados outros vegetais como o milho ou azeitonas descaroçadas ou cozidos, como feijão verde, cenoura, espargos... se houver sobras de ovo cozido, basta picar grosseiramente e juntar;
- Para que fiquem com uma cor mais apetitosa pode ser acrescentado 1 colher (chá) de açafrão-das-índias.

terça-feira, 17 de Junho de 2014

BOLO INVERTIDO DE PÊSSEGO E AÇAFRÃO

Um clássico bem fresco, uma delícia.
A massa é amanteigada e humedecida pelos sucos do pêssego e do caramelo...

Já substitui o pêssego por maçã e por ananás e o resultado é sempre bom.
A receita é do livro Cake da Rachel Allen - Upside-down peach and saffron cake.

Acompanhado com uma colherada de natas ácidas ou iogurte grego torna-se numa sobremesa magnífica.
Simples com um café sem açúcar faz a diferença.

Fiz assim...

BOLO INVERTIDO DE PÊSSEGO E AÇAFRÃO ´


INGREDIENTES
50g de manteiga
175g de açúcar
4 pêssegos frescos pelados ou 1 lata grande (+/-800g) de pêssegos em calda fatiados
200g de farinha
1 colher (chá) de fermento em pó
1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1/4 colher (chá) de sal
2 ovos
200ml e leitelho (buttermilk)
75ml de óleo de girassol
1 boa pitada de açafrão

Para acompanhar:
iogurte grego ou chantilly


PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC

Numa caçarola colocar a manteiga e 50g do açúcar e deixar cozinhar cerca de 3min ou até ficar dourado claro. Mexer ocasionalmente.
Remover do lume e espalhar no fundo de uma forma.

Distribuir os pêssegos laminados por todo o fundo da forma, numa só camada.

Numa taça misturar a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e o restante açúcar (125g).
Noutra taça ou na da batedeira bater os ovos com o leitelho, óleo e açafrão.

Fazer um buraco no meio dos ingredientes secos e verter a mistura dos ingredientes líquidos ou misturar os secos aos ingredientes líquidos da batedeira. Bater até ficar homogéneo e macio.

Verter a massa do bolo sobre os pêssegos e levar a assar 30-35min. ou até que o palito saia limpo.

Retirar do forno e deixar arrefecer 5min. antes de desenformar.

Servir morno ou à temperatura ambiente com uma boa colherada de iogurte grego ou chantilly.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Quando elaborar o caramelo deixá-lo clarinho pois este ainda irá cozinhar e poderá tornar-se demasiado escuro e amargo;
- Se não usar açafrão e quiser manter a cor amarela do bolo pode usar umas gotas de corante amarelo;
- No fim de desenformar costumo abafar o bolo com a própria forma, entretanto, já lavada ou com uma caixa plástica, para reter a humidade do bolo.

domingo, 18 de Maio de 2014

QUEQUES DE CENOURA E AVELÃ

Queques e muffins são muito práticos para levar na lancheira e comer a meio da manhã ou tarde.
As variações são inúmeras, quer nas versões mais comuns, doces, quer nas salgadas.

Aproveitamos o dia para ter algo para o lanche e aromatizar a casa ;)
A ajuda dos mais pequenos é indispensável, e se para uns mexer a massa com uma colher de pau é divertido, há outros que sofrem atração por máquinas e tudo o que é elétrico! Mas com um de cada vez a confusão é menor :)
Esta é uma daquelas receitas que se fazem bem com os garotos e com ela comemoramos o World Baking Day.

A Vaqueiro lançou o repto desta comemoração lançando um projeto de divulgação. "Este projeto nasceu da vontade de inspirar a vida das pessoas e mostrar-lhes que fazer um bolo não é uma tarefa difícil mas, pelo contrário, que pode ser uma excelente atividade de prazer e descontração pessoal ou em família, sendo que o resultado, mais ou menos perfeito, é sempre uma conquista e um motivo de orgulho.

Inspirado pelo sucesso mundial no ano passado, a campanha de 2014 tem como desafio “Faça mais um Bolo” no sentido de levar este incentivo ainda mais longe e de quebrar a tradição de que tem de existir um motivo para fazer um bolo. Queremos então, ao longo do ano, criar um verdadeiro movimento de “vá para a cozinha e aventure-se a fazer um bolo”."

Que mais posso dizer? Vá para a cozinha e arraste alguém da família, o resultado será ainda melhor!

Fiz assim...

QUEQUES DE CENOURA E AVELÃ


INGREDIENTES
150g de açúcar moreno
100g de margarina líquida
1 ovo
150ml de leite
1 colher (chá) de extrato de baunilha
300g de cenoura ralada
100g de miolo de avelã
150g de amido de milho
200g de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó

PREPARAÇÃO
Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Bater o açúcar com a margarina com a batedeira usando o batedor plano.
Acrescentar a gema, o leite e a baunilha. Bater até se obter uma massa lisa.
Juntar a cenoura, a avelã, as farinhas e o fermento. Bater apenas até envolver e a massa ficar uniforme.

Dispor a massa em forminhas de papel, cheias a 3/4, dispostas num tabuleiro com cavidades.
Levar ao forno 30min. a 180ºC.
Desenformar e deixar arrefecer.

Rende 14 queques grandes.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- Em vez de avelã poderá ser usada amêndoa ou passas previamente embebidas em rum ou vinho do porto;
- Outros aromas podem ser acrescentados: canela, laranja, limão. Sementes: linhaça, papoila, alcaravia...
- Não querendo usar cenoura há que ter em atenção a humidade dos ingredientes. Curgete pode ser usadas ou coco ralado, mas neste último terá que aumentar a quantidade de leite;
- O amido de milho deixa a superfície dos queques mais crocante, poderá usar apenas farinha de trigo.

sábado, 19 de Abril de 2014

PASTÉIS DE MASSA TENRA

Empadas, rissóis e pastéis de massa tenra são das minhas perdições.
Há algo nestes salgados que me atrai.
A cor dourada depois de fritos ou assados, o cheiro quando acabados de cozinhar... gosto essencialmente da massa. É lógico que não menosprezo o recheio, mas a massa é fundamental!

Os pastéis de massa tenra acabam por ser os mais práticos de se fazer. Não é preciso forrar forminhas, como nas empadas, não é preciso panar em ovo e pão ralado nem cozer a massa, como nos rissóis.
Enquanto os rissóis e empadas demoram umas horas a preparar, porque também não se faz meia dúzia de cada vez, os pastéis de massa tenra preparam-se para uma refeição, se a pressa não for demasiada, e como em todos os outros salgadinhos, congelam-se alguns para fritar depois.
Para acelerar ainda mais o preparação, estiquei a massa na máquina da massa fresca e em vez de a cortar no formato tradicional português, retângulos, cortei na prensa em meia-lua.

Comum às empadas, rissóis e pastéis de massa tenra é poderem ser usadas as sobras de carne cozinhada, por exemplo, cozida ou assada. São por isso formas ótimas de reciclagem de alimentos.

Mesmo que se demore um pouco mais na preparação, a vantagem é estar-se a adiantar uma outra refeição.
Naqueles dias onde não houve tempo de programar o jantar ou quando o cansaço impera ou quando nos lembramos que no dia seguinte é preciso preparar o almoço para os garotos levarem numa saída, ei-los (os pastéis) no congelador, a sorrir para nós :)

Fiz assim...

PASTÉIS DE MASSA TENRA


INGREDIENTES
Para a massa:
30g de manteiga com sal
20g de banha
100ml de água
300g de farinha

Para o recheio:
carne picada à bolonhesa (carne de vaca refogada em cebola, alho e um pouco de molho de tomate, temperada com vinho branco, sal, pimenta e orégãos)

PREPARAÇÃO
Numa caçarola derreter a manteiga e banha. Retirar do lume.
Acrescentar os restantes ingredientes e mexer com a colher de pau até formar uma bola de massa homogénea. Se for preciso para unir a massa, acrescentar mais 1 colher (sopa) de água e mexer.

Deixar descansar 1h.

Dividir a massa em porções e esticar com o rolo da massa na pedra enfarinhada.

Rechear e cortar a massa com o bordo de um copo, a carretilha ou com uma prensa.

Fritar em óleo quente até ficarem dourados.
Escorrer em papel absorvente.

Acompanhar com arroz branco ou outro e uma salada.


NOTAS, MAS NÃO MENOS IMPORTANTES
- A massa no fim de pronta fica a descansar no mínimo 1h, podendo ficar mais tempo ou mesmo de um dia para o outro no frigorífico;
- O recheio deve ser seco, sem molho, pois enquanto a massa dos rissóis é impermeável a dos pastéis de massa tenra ficará humedecida se houver líquido no interior;
- Quando sobra um pouco de massa, também não há desperdícios, um pouco de queijo e fiambre, por exemplo, e ficam uns pastéis deliciosos. Desta vez usei queijo roquefort, fiambre e orégãos.